Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006

Paradigma Tecnológico da Informação na Educação

   No texto de Duarte Costa Pereira discutem-se processo de mudanças, nas quais podemos distinguir as provocadas por forças externas e por forças internas.

Podíamos “abolir essas limitações” através do estudo do paradigma tecnológico da educação que se concentra em aspectos externos e interacção educativa, ou seja teorias psicológicas e teorias tecnológicas, desvalorizando assim os valores da Educação e melhorando os métodos de ensino suportados por maquinas automatizadas e cibernéticas como suposta solução para todos os problemas.

   Passamos a falar mais de “instrução” do que em “educação”.    

  Define-se dois tipos de teorias tecnológicas: as teorias sistémicas que insistem no estudo do processo educativo de um ponto de vista da teoria dos sistemas, mas com particular ênfase no processo do design; e teorias hipermediáticas que dão ênfase á interactividade aos programas de computador, ás situações multimédia para combinar os vários media e ao funcionamento dos media em si.

   A Teoria Sistémica privilegia a qualidade do design pedagógico segundo Bertrand tal tendência “tem a sua origem nas pesquisas sobre teoria geral dos sistemas, ou sistemática, que permitiram melhorar, nomeadamente a organização do ensino e conduziram ao design pedagógico.

Os autores mais importantes que representaram esta última tendência são Gagné, Briggs e Wager e as suas teorias têm por base cinco princípios:

v      A individualização do ensino;

v      A necessidade da planificação e da organização;

v      O recurso á teoria sistémica;

v      O ter em conta as condições de aprendizagem.

 

  A Teoria hipermediática privilegia a qualidade dos programas de computador que servem a base á interacção educativa e de uma geral o conjunto multimediatizado.

Segundo Bertrand esta tendência “teve origem nas pesquisas sobre a cibernética, a inteligência artificial, as ciências cognitivas, a informática, bem como nas teorias de comunicação relativa á utilização dos media”.

Esta teoria assenta em três pilares:

v      A teoria da comunicação;

v      A cibernética;

v      O comportamentalismo.

   A teoria da Comunicação constitui a 1ª fonte de inspiração das teorias hipermediáticas e está ligada ao interesse pelo audiovisual.

   A Cibernética constitui a 2ª fonte de inspiração de teorias hipermediáticas.

   A 3ª fonte da corrente é o comportamentalismo.

   A união entre o comportamentalismo e da tecnologia do ensino agradou a muitas pessoas que viram nele uma solução magica.

  A partir de agora pode-se substituir um “mau professor” por uma máquina bem preparada.

   Deste texto podemos chegar a uma pequena conclusão de que apesar  da rápida evolução da tecnologia e da sua importante intervenção por exemplo no campo educacional, estas novas tecnologias não poderão substituir o Homem.

 

 

 

 

 

 

Sentimo-nos:: Custou mas entendemos
publicado por Fantastic 4 às 15:20

link do post | comentar | favorito
|

.Nós...no sentido figurado :)

.Pesquisar neste blog

 

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Posts recentes

. Vamos de Férias!!!!!

. As Tecnologias da Informa...

. Redes e contextos de educ...

. Processos colaborativos n...

. Impacto das comunidades d...

. Abordagens educacionais n...

. Educação e sociedade em r...

. uffa...já chegaram as fér...

. Correio electrónico

. O Modelo de Abraham Moles

.Arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.Links